Assembleia Legislativa de Minas Gerais apoia a criação do TRF 6

25/09/2019 16h11 - Site da ALMG

Associação que representa os magistrados diz que novo tribunal reduziria pela metade o tempo de análise dos processos.

 

ALMG apoia TRF 6

Se criado, tribunal não traria novos gastos para a União, uma vez que aproveitaria a força de trabalho já existente

Foto: Guilherme Bergamini

 

O presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Agostinho Patrus (PV), recebeu representantes da Associação dos Juízes Federais do Estado (Ajufemg), que buscam apoio do Parlamento mineiro para a criação do Tribunal Regional Federal da 6ª Região (TRF-6). O encontro aconteceu na tarde desta quarta-feira (25/9/19), no Salão Nobre, e contou com a participação de diversos deputados.

De acordo com o presidente da Ajufemg, Ivanir César Ireno Júnior, atualmente, os processos referentes a Minas são analisados pelo TRF-1, que abrange, ainda outros 12 estados e o Distrito Federal.

“Dos 590 mil processos que aguardam sentença, 193 mil tem origem aqui. A criação do TRF-6, portanto, reduziria quase que pela metade a conclusão desse trabalho, além de desafogar o atendimento às demais unidades da federação”, explicou.

O ganho de eficiência e celeridade também foi defendido pelo presidente Agostinho Patrus. Para ele, o benefício será, acima de tudo, para a população, que terá um serviço público ainda mais qualificado.

É uma causa de todos. Vamos envolver deputados e senadores mineiros, assim como os demais Poderes e instituições do Estado. O que está sendo proposto é um novo órgão, que não trará aumento de custo para os cofres públicos”, destacou.

Ajufemg – Trata-se de uma associação sem fins lucrativos, que congrega juízes federais de Minas. Entre aposentados e ativos, conta com 120 magistrados. Uma das suas missões é a criação do TRF-6, que depende da aprovação de projeto de lei federal e tem instalação prevista para o ano de 2020.

O tribunal não trará novos gastos para a União, uma vez que aproveitará a força de trabalho já existente nos quadros do Poder Judiciário federal.


Imprimir   Email